Hoje Dia Mundial do Coração: veja principais doenças cardíacas e como evitá-las

29/09/2022
/
160 Visualizações

Data alerta para cuidados que devem ser tomados para a prevenção de doenças cardíacas, maior causa de mortes do Brasil (Por Ivana Fontes)

O Dia Mundial do Coração, comemorado nesta quinta-feira (29), tem como objetivo conscientizar e alertar a população para evitar o desenvolvimento de doenças cardíacas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), as questões cardiovasculares causam o dobro de mortes que todos os tipos de câncer juntos.

O coração também é a maior causa de mortes do país; o Brasil deve fechar 2022 com cerca de 400 mil vítimas por doenças cardíacas. Até a quarta-feira (28), na plataforma “Cardiômetro” — criada pela SBC para contabilizar os óbitos por doenças do coração no Brasil —, já constavam 299.195 mortes do tipo em 2022.

Por tudo isso, Byte (re)apresenta a você as principais doenças do coração e dicas sobre como fugir delas.

Hipertensão arterial

Apesar de muito conhecida, a hipertensão arterial ou “pressão alta” é uma doença relativamente silenciosa e que não apresenta muitos sintomas visíveis. É caracterizada pelo alto nível de pressão sanguínea nas artérias. Se seu nível ficar maior ou igual a 14 por 9 (140 / 90mmHg) na maior parte do tempo, você pode ser considerado(a) hipertenso(a).

Quando apresenta sintomas, eles podem incluir dor no peito, tontura, zumbido no ouvido, visão embaçada, sangramento no nariz e dor de cabeça.

As causas podem advir do excesso de álcool, cigarro, sedentarismo, alimentos com grandes quantidades de sal, obesidade e estresse, mas normalmente o aparecimento da doença também está ligado a fatores genéticos.

Ainda sem cura, é possível tratar a hipertensão com medicamentos e novos hábitos, como mudanças na alimentação — suco de beterraba, por exemplo, ajuda bastante. Já para a prevenção, indica-se medir frequentemente os níveis de pressão arterial, evitar o excesso de sal na comida e praticar esportes.

Doença coronariana
A doença coronariana é consequência da aterosclerose, em que há obstrução gradual ou súbita das artérias coronárias por placas de gordura e coágulos.

A doença arterial coronariana (DAC) é a forma mais prevalente de doenças cardiovasculares e uma consequência da aterosclerose, em que há obstrução gradual ou súbita das artérias coronárias por placas de gordura e coágulos. Essa obstrução gera insuficiência das artérias coronárias, que levam sangue para o coração, e impede o transporte de nutrientes e oxigênio ao miocárdio.

São vários os hábitos que levam à DAC, como alimentação desequilibrada, obesidade, tabagismo, sedentarismo e estresse. A própria “pressão alta”, assim como o colesterol elevado e a diabetes mellitus, são fatores que podem levar à aterosclerose, e consequentemente à doença coronariana. O colesterol alto, inclusive, segundo a SBC, atinge quatro entre dez brasileiros adultos, o que representa 60 milhões de pessoas.

A manifestação dela pode surgir com uma dor no peito ligada a atividades de esforço ou estresse — a “angina” de peito. Essa dor acontece por conta de um déficit na irrigação do miocárdio, resultado de uma obstrução parcial da artéria coronária.

As características dessa dor são:
  • Sensação de aperto no coração;
  • Dor que se espalha pelo corpo, nas costas, pescoço, nuca, ombros e braços (especialmente o esquerdo);
  • Ela dura por alguns minutos, desaparece e retorna, variando sempre de intensidade;
  • Pode vir junto com falta de ar, tontura e náuseas.
Para evitar o desenvolvimento da condição, portanto, o ideal é manter uma dieta com menos gordura e açúcar simples e um maior teor de fibras, castanhas ou nozes, frutas e vegetais; manter um peso ideal; praticar atividades físicas e parar de fumar.

Doença cerebrovascular (AVC)
A doença cerebrovascular, mais conhecida por todos como acidente vascular cerebral (AVC), é quando surge um súbito neurológico, decorrente de implicações nos vasos sanguíneos do sistema nervoso.

O AVC pode ser isquêmico quando há obstrução do fluxo sanguíneo dentro de uma artéria cerebral, ou seja, o sangue deixa de correr pela veia. Esse é o tipo mais comum e seu tratamento é feito por desobstrução do vaso cerebral.

Outro tipo é o AVC hemorrágico, causado pela ruptura de um vaso, o que gera hemorragia intracerebral. Neste caso, o tratamento é com a inserção de um cateter no cérebro, com a função aliviar a pressão craniana.

As causas do AVC incluem hipertensão arterial, inflamação nos vasos sanguíneos, distúrbios de coagulação do sangue como hemofilia, ferimentos na cabeça ou no pescoço que resultem em danos aos vasos dessas regiões, tratamento com radiação para câncer na cabeça ou no pescoço, aterosclerose, arritmias cardíacas, entre várias outras.

Quando o AVC está acontecendo, é comum sentir:
  • Perda súbita na face, braço ou perna de um lado do corpo;
  • Sensação de formigamento na face, braço ou perna de um lado do corpo;
  • Perda súbita de visão num olho ou nos dois olhos;
  • Dificuldade para articular, expressar ou para compreender a linguagem;
  • Dor de cabeça súbita e intensa;
  • Instabilidade, vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos
Alguns cuidados que podem ser tomados para evitar o risco de AVC são evitar o fumo; manter o peso saudável; praticar pelo menos 30 minutos de exercícios diariamente; manter uma dieta equilibrada; controlar a pressão se for hipertenso; e controlar a glicemia se for diabético. (Fonte: Terra)

14 DICAS DE PREVENÇÃO

Cuidados e alertas que ajudam a prevenir doenças cardiovasculares e contribuem com o bem-estar:

1.       Faça, pelo menos uma vez por ano, um check-up;

2.       Não fume e nem use drogas;

3.       Se tiver antecedentes familiares para doenças crônicas, como, por exemplo, Diabetes, Hipertensão e Problemas cardíacos, fique mais atento;

4.       Tenha uma alimentação mais saudável;

5.       Beba água regularmente;

6.       Pratique atividade física orientada;

7.       Mulheres não deixem de ir ao ginecologista regularmente;

8.       Caso tenha dor no peito ou no tórax acima do umbigo vá rapidamente ao hospital mais próximo;

9.       A maioria dos casos de entupimentos das artérias coronárias, que levam ao risco maior de causar infarto, pode ser tratada com angioplastias, quando necessário;

10.   O tratamento mais efetivo para o infarto é o desentupimento da artéria coronária, por trombolíticos ou angioplastia, desde que realizado dentro das primeiras duas horas do início do quadro. Tempo é Vida;

11.   Fique atento ao peso;

12.   Evite o stress;

13.   Cheque sua pressão arterial;

14.   Monitore o colesterol.

COMPARTILHE

NOTÍCIAS RELACIONADAS